domingo, 6 de abril de 2008

A Falta de Assunto

A falta de assunto é uma coisa muito bela!
É, sim, é bela!
Aposto que muitos irão discordar, mas tentarei explicar de forma clara -já que meus pensamentos seguem uma linha de raciocício assaz caótica, pra não dizer totalmente sem nexo- e objetiva, que todo mundo -até você, digníssimo Sr. Daniel- posa entender.
Desde que criei este blog, venho tentando escrever aqui... Mas há sempre dois empecilhos: a falta de assunto e a falta de tempo! Bom... Este fim de semana foi selvagem, trilôco, maluco e bastante absurdo pra me fazer ficar pensando, à tóa, no quarto, à noite de domingo, sobre tudo e um das conclusões que cheguei foi: a falta de assunto é bela!

Para explicar, terei que explicar um pouco meu fim de semana: sábado, rolou cervejada de História e eu fui com um amigo da faculdade, Rafael, justamente com o intuito de nos perdemos LA LE LI LO LOUCO naquela festa. Só que a fóssa e a falta de coisa pra fazer num lugar onde as mulheres bêbadas não conversam e os homens bêbados dormem nos fez ir embora... Chegando aqui em casa, acabamos por sair com minha irmã e as amigas dela, pro Quintal, na Grão Mogol, e só voltamos lá prás seis da manhã de domingo! O pior: tinha que estar na casa de um colega, na Cidade Industrial, às 8 pra fazer um trabalho... Assim: dormimos cerca de duas horas, e ele voltou pra casa e dormiu, eu fui fazer trabalho! Fiquei lá até umas seis da tarde... Cheguei em casa umas seis e meia e tava louco pra ir dormir... Então jantei rápido, e tava esperando a preguiça pós-PF baixar quando telefone toca do meu lado e, FELIZMENTE, atendi...

Aqui começa então... O telefonema era pra mim! Uma amiga me ligou e a ficamos conversando por cerca de duas horas! Odeio telefone, conversar por duas horas no telefone pra mim é uma eternidade! Mas como foi bom... A conversa fluiu...
E onde entra a "falta de assunto"??! Exatamente! O nosso assunto era... A falta de assunto! A falta de assunto é bela! Abre todo um leque de opções de conversa inimagináveis, para todos os gostos e momentos. Você pode até controlar a falta de assunto pra começar um assunto que você próprio queira, como, por exemplo, dar umas indiretas na senhorita ou dizer ao senhor todas as coisas que ele não quer escutar, e por aí vai.

Quando, em uma conversa, você sentir que o assunto está morrendo, vai logo preparando um apôio... O que seria apoio? Ora... Algo do tipo: "Mas então, a falta de assunto nem é problema entre a gente, né?!" Com certeza, a outra parte irá prosseguir com o tópico recém-criado e a conversa seguirá adiante. É simples e divertido -até porque, depois de duas horas no telefone, meu leque de opções de apoio foi ficando cada vez menor! Conversar no telefone é um porre: num dá pra usar o ambiente como assunto sem que o outro fique confuso e fora do contexto-.
Quando a pessoa não dá continuidade, aí é chato... Bom, o meu conselho para tal é... MANDA ELA SE FUDER! Cu-doce, pra mim, se cura com pinto diet! Povo chato nem merece extensão de papo!


Bom, foi só um lapso de inspiração espontânea e momentânea do pleonasmo cultural da língua portuguesa do Brasil Pau E Pedra...
Como descobri, porém, como que o quesito "cu-doce" dá um pulta assunto, postarei aqui, em breve, os tipos de pessoas cu-doces que a gente encontra no cotidiano.

Ouvindo: Like An Angel [Rise Against]

4 comentários:

Klaus disse...

Owa õ.ô

iUHAEIUHEiuaehIUEHieuHEIheIAUHI!!!


Sabe o que isso me lembra? Uma conversa de quase duas horas (isso SE É que não durou 2h ou mais xD Estou sendo otimista!) na esquina da Antonio Carlos onde tem a mardita trincheira!! Rapaiz, conversa sagaz aquela, não?!

Souto disse...

Seu texto me fez chegar a conclusão de que a falta de assunto é um ótimo assunto.

Abrçs, Leão III

yuricka disse...

na verdade eu sofro um problema com a falta de assunto... e nem é q eu faço cú doce.. é q eu sou sem criatividade mesmo pra assuntos!! shaushauh me conta como faz uma falta de assunto durar 2 horas?? xDDDD

Gabriel disse...

Como disse Veríssimo, "deixar os escritores falando sozinhos é uma opção inevitável se quisermos controlar a insânia no mundo."