domingo, 19 de setembro de 2010

Heróis da Pátria III

Boooooooooa Noite Povo !! Tu'bão com vocês ?


O Refinado humor Brasileiro "Old School", onde piadas não eram forçadas, nem tinham (muito) apelo sexual, tinham nomes de peso, como os já antes retratados nos posts anteriores. Peço licença para apresentar as novas gerações, um dos meus comediantes favoritos, Antônio Carlos Bernardes Gomes, mais conhecido como Mussum !



Mussum teve origem humilde, nascido no Morro da Cachoerinha, subúrbio do Rio de Janeiro, estudou 9 anos num colégio interno até conseguir o Diploma de Ajustador Mecânico.

Mussum trabalhou na Força Aérea Brasileira durante 8 anos antes de integrar um grupo de samba com alguns amigos, chamado de Os Sete Modernos, sendo conhecido posteriormente como Os Originais do Samba. Mussum recusou seu primeiro convite para participar de Programas televisivos porque achava que pintar o rosto, como os atores tinham que fazer, não era coisa de macho, mas anos mais tarde, mussum apareceria no programa humorístico Bairro Feliz (TV Globo, 1965), reza a Lenda que foi nos bastidores deste programa que Grande Otelo deu a Mussum esse apelido.

Em 1968, o Diretor de "Os Trapalhões" chamou Mussum para integrar o grupo, que contava apenas com Dedé e Didí. Mussum recusa, mas por insistência de seu Amigo, Manfried Santanna (Dedé Santanna) acaba aceitando, tornando se então o primeiro e único Trapalhão Negro (Apesar de Tião Macalé e Jorge Lafond também terem participado de alguns quadros do programa).



Mussum também se dedicava a música, sempre tocando nos Originais do Samba, abandonou-os apenas quando os Trapalhões já passava na TV Globo, e o sucesso o impedia de participar dos ensaios e shows. Outra de suas paixões musicais era a Estação Primeira de Mangueira a qual se dedicou mesmo nos Trapalhões, sendo o Diretor de Harmonia da Ala das Baianas, sendo conhecido por lá como "Mumu da Mangueira".

Mussum foi é considerado o Trapalhão mais engraçado, por seu modo irreverente de falar, adicionando a terminação "is" ou "évis" as palavras (Cacildis, Forévis, Coraçãozis), numa época onde ainda não havia o patrulhamento do "Politicamente Correto", Mussum se consagrou por frases onde ele satirizava a condição do Negro, tais como: "Negão é o teu passadis" e "Quero morrer pretis se eu estiver mentindo", Além de piadas sobre bebidas alcoólicas.

Mussum morreu em 29 de Julho de 1994, Não resistindo a um Transplante de Coração, e foi sepultado em São Paulo. Deixou um Legado de 27 Filmes com os Trapalhões e inumeros trabalhos na TV brasileira durante seus 20 anos de carreira.



Deixo vocês com esse vídeo e aqui fica a Homenagem do Plural a um dos Maiores comediantes do Brasil, e eu quero morrer pretis se eu tiver mentindo, Cacilds !!

3 comentários:

Klaus~! disse...

Cachaça, não! Bota logo aí um MÉÉÉR pra nós! Hahá!!

Mussum, saudades dos Trapalhões de verdade, sagraaaaaaada infância dos anos 80/09!!!

Ótimo texto!

Lobão disse...

MUSSUUUUUUUUUUUUM!!!!!!!!!
Sempre foi meu Trapalhão favorito!!
Mé!!
AAHuahaUAH

Adorei!

OBS: Parte II pronta, só falta as imagens!! Tá vindo!

Vivi disse...

Ahaaaa Mussum era o maximo...lembro de coisas até hj.
E que nunca tomou um mezis e lembrou dele? hsuauhasas muito bom